Exposição de arte subaquática

0
550

Muito provavelmente já visitou alguma exposição, foi à uma mostra de arte, seja um museu, ou até mesmo ao ar livre. Mas já imaginou visitar uma exposição embaixo d’água a 27 metros de profundidade? Pois é exatamente esse o projeto do fotógrafo austríaco e mergulhador apaixonado Andreas Franke.

Esse artista de Viena viu a possibilidade de fazer a única galeria de arte subaquática do mundo, tirando fotos de estúdio que representam cenas da vida cotidiana, fazendo uma montagem, e em seguida colocou-as ao lado do navio afundado USNS General Hoyt S. Vandenberg.

O resultado é que as cenas dos personagens parecem acontecer de fato no fundo do mar, um mundo novo submerso.

As fotografias foram cobertas com acrílico e colocadas em quadros de aço inoxidável com ímãs e, finalmente cuidadosamente anexadas ao lado do navio. Foi um processo sutil, com grande cuidado para não perturbar o equilíbrio ecológico da vida marinha ao redor e para não danificar o Vandenberg e um método que permitiria também que as imagens pudessem facilmente ser removidas mais tarde.

No vídeo abaixo confere um pouco do processo de montagem:

A única coisa é que essa exposição está aberta apenas para mergulhadores. Em maio a mostra deve estar no S.S. Stravonikita, navio grego afundado em Barbados.

 

Exposição de arte subaquática - As fotografias foram cobertas com acrílico e colocadas em quadros de aço inoxidável com ímãs e, finalmente cuidadosamente anexadas ao lado do navio. Foi um processo sutil, com grande cuidado para não perturbar o equilíbrio ecológico da vida marinha ao redor e para não danificar o Vandenberg e um método que permitiria também que as imagens pudessem facilmente ser removidas mais tarde.

Exposição de arte subaquática

Exposição de arte subaquática

As fotografias foram cobertas com acrílico e colocadas em quadros de aço inoxidável com ímãs e, finalmente cuidadosamente anexadas ao lado do navio. Foi um processo sutil, com grande cuidado para não perturbar o equilíbrio ecológico da vida marinha ao redor e para não danificar o Vandenberg e um método que permitiria também que as imagens pudessem facilmente ser removidas mais tarde.

As fotografias foram cobertas com acrílico e colocadas em quadros de aço inoxidável com ímãs e, finalmente cuidadosamente anexadas ao lado do navio. Foi um processo sutil, com grande cuidado para não perturbar o equilíbrio ecológico da vida marinha ao redor e para não danificar o Vandenberg e um método que permitiria também que as imagens pudessem facilmente ser removidas mais tarde.

Para conhecer mais aqui.

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here